Blog

Um de nossos princípios é a comunicação transparente, dividindo os relatórios anuais e reforçando a conexão e o bom relacionamento com nossos participantes.

Estudo de possibilidade de transferência de gestão do Plano da Fapa é notícia na Revista Investidor Institucional

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Confira abaixo a matéria divulgada no site da Revista Investidor Institucional sobre estudo de possibilidade de transferência de gestão do plano de benefícios da Fapa.

Fapa avalia possibilidade de transferência de seus Plano

A Fapa, o fundo de pensão dos funcionários do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná, Iapar e Emater, avalia a transferência para outra entidade da gestão do Plano Misto, de Contribuição Variável (CV), e do plano familiar Gera, cujo regulamento se encontra sob a análise da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc). Uma das candidatas é a Fusan, responsável pela administração de planos de complementação de aposentadorias dos empregados da Companhia do Saneamento do Paraná (Sanepar), que iniciou há 30 dias, a pedido do IDR-Paraná, o exame dos números e indicadores do Plano Misto. Também figura no páreo a Fundação Copel, que foi procurada pela diretoria executiva da Fapa.

“A Fusan concluiu que a proposta é viável, mas ainda está analisando questões relativas aos custos de incorporação do nosso plano. Já a Fundação Copel deve manifestar na próxima semana o seu interesse em participar do processo”, diz o diretor-presidente da Fapa, Celso Luiz Andretta, assinalando que a transferência ainda não foi decidida pelo patrocinador. “Se a opção for nesse sentido, a mudança deverá ser efetivada até o fim do primeiro semestre de 2022.”

A hipótese de passagem do bastão colocada na mesa pelo IDR-Paraná tem relação direta com as características do Plano Misto. Fechado há muitos anos a novas adesões, o produto, que conta com uma carteira de cerca de R$ 530 milhões, tende a apresentar custos per capita em escala crescente aos seus 1.153 participantes – 41,8% dos quais se encontram na ativa – em razão do crescimento do grupo de assistidos e de eventuais programas de demissões voluntárias por parte do patrocinador.

Para compensar o encolhimento das receitas previdenciárias e aliviar o bolso dos participantes, a entidade, criada em junho de 1977, resolveu apostar em produtos instituídos: além do Gera, que aguarda o sinal verde da Previc para os próximos dias, está desenvolvendo um plano setorial voltado a empreendimentos ligados ao próspero agronegócio paranaense.

“Os estudos de viabilidade que encomendamos indicam que os planos familiar e setorial têm potencial para atrair, em cinco anos, 1 mil e 5 mil participantes, respectivamente”, diz Andretta. “A ideia é lançar o Gera até o fim do ano e apresentar o setorial ao mercado seis meses depois. Já estabelecemos, inclusive, contatos com cooperativas agrícolas do Paraná com esse objetivo.”

Fonte: Investidor Institucional

Palavras-chaves

Gostou? Conta pra gente o que achou!

Notícias relacionadas

alteracoes_emprestimos

Empréstimos: Decreto altera alíquota de IOF

A Fapa informa que, conforme determina o decreto nº 10.797, de 16 de setembro de 2021, haverá alteração na alíquota de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre os empréstimos.

Veja mais
Página investimentos

Investimentos são apresentados em novo layout no site da Fapa

o início deste mês, traz as informações em formato mais dinâmico e completo.

Veja mais

O que você está procurando?